Ainda, o desmaio de Cavaco Silva

Posted by António Pedro Lima | Posted in , , , , | Posted on 10:47

0

Para além da bajulação deste "sitezeco", vale a pena ler a transcrição do artigo de Leonilde Santos, aqui.
Haverá uma altura em que ouvimos falar de certos episódios e nos soam a teorias da conspiração. No entanto, há outras alturas em que se torna urgente passar para o nível seguinte, pensando que afinal há factos que devem ser avaliados de outra forma.
Afinal, estamos num país que está numa situação delicada a vários níveis (não só económicos) e que, embora nos queiram atribuir essa responsabilidade, não fomos "nós" que a criámos.

O Poder (e a sede dele) é demasiado importante para alguns, que se esquecem de todos os outros portugueses...
Cada um por sí!

Vamos lá ver se nos entendemos!

Posted by António Pedro Lima | Posted in , , , , , , | Posted on 14:41

0


Quem segue pelo Eixo Norte-Sul em direcção à Ponte 25 de Abril e quer sair para a Praça de Espanha, NÃO tem que esperar que quem vem da Avenida Lusíada passe, só porque tem uma faixa de rodagem que "se liga" à saída. Como sabem (ou deviam saber), DEVE ceder passagem, o condutor que entra numa autoestrada ou via reservada a automóveis e motociclos.
O melhor disto tudo é que há quem refile, buzine ou insista em continuar a sua marcha, só porque não tem um sinal de cedência de passagem ou porque o desenho da estrada não exige que mude de faixa, caso queira ir para a Praça de Espanha ou Entre Campos...
Estarei errado?
A coima oscila entre 250€ e 1250€.
Ver aqui, por favor...

JJ

Posted by António Pedro Lima | Posted in , , | Posted on 19:00

0

Antes que se conheça o desfecho de qualquer competição que ainda não tem vencedor (apesar de achar que o campeonato está ganho), quero desabafar sobre a minha opinião acerca de Jorge Jesus.
Vamos por épocas mas, apesar de todas as qualidades que se evidenciam nele, o Benfica não pode ter um treinador que ganha campeonatos de 5 em 5 anos. Ponto final. É verdade que tem dado muito dinheiro ao Benfica (entre receitas de bilheteira – o primeiro ano foi fascinante – e lucros com vitórias nas competições europeias), mas não chega. Pelo menos para mim. Não.

E ainda há aqueles jogos que não me saem da cabeça (os piores a negrito): 

Época 2009/2010

Há um 8-1 ao Vitória de Setúbal (e este é o meu Benfica ideal), mas começa o obstáculo chato chamado Braga (jornada 9, 2-0 no AXA), há a eliminação da Taça de Portugal na 4ª eliminatória, em casa, com o Guimarães e, mais perto do fim, o afastamento em Liverpool da Liga Europa, depois de uma experiência parva que teve repetição no Porto, provocando a segunda derrota no campeonato (mas já depois da conquista da 2ª Taça da Liga ganha a eles, sem espinhas e sem Lucílio). Resultado: campeões nacionais, ao fim de 11 anos, a 5 pontos do Braga, 8 do Porto e 28 (sim, vinte e oito!) do Sporting. Nada mau, mesmo assim, para um treinador recém-chegado.

Época 2010/2011

O ano começa com três derrotas: Porto, para a Supertaça, em casa com a Académica (primeira jornada) e na Madeira com o Nacional, logo a seguir. À segunda jornada tínhamos zero pontos. No ano anterior tínhamos um e fomos campeões. Vamos esperar… Quarta jornada, nova derrota. Então? A seguir vem o Sporting. 2-0 na Luz. Menos mau… Liga dos Campeões (íamos ver o estofo do Jorge Jesus na Europa dos grandes), 2-0 ao Apoel mas duas derrotas na Alemanha e em França. Afinal? Onde andava o super Benfica do ano anterior? Ninguém sabia. Mas este era também o ano da teimosia. Roberto na baliza; não é preciso dizer muito mais. Era frango atrás de frango. Depois veio o dia 7 de Novembro. 5-0 no Dragão. Rennie, Gaviscon, etc… Pouco depois, um 3-0 do Apoel. Só faltava “virem os cães mijar-nos os pés”! Em Dezembro dissemos adeus à Liga dos Campeões com mais uma derrota caseira diante do Shalke 04. 2011 corria na perfeição (só vitórias) até chegar Março. Nova derrota com o Braga. Depois, derrota em casa com os do costume (FC Porto campeão – ver mais à frente) enquanto a Liga Europa corria bem. Por fim, em menos de um mês: derrota em casa com o Porto, depois de uma vitória no Dragão por 2-0 (para a Taça de Portugal) e a eliminação da Liga Europa pelo Braga, uma equipa que Jorge Jesus conhecia muito bem. Final: 2º lugar a 21 pontos do Porto e uma Taça da Liga, ganha ao Paços de Ferreira. É preciso dizer uma coisa, o FC Porto tinha uma super equipa, muito bem orientada. Mas nada, nada, nada justifica o facto de termos permitido, no dia 3 de Abril de 2011, que o eterno rival do Norte tenha vindo fazer a festa ao nosso estádio. Jesus, esta é tua! Quase tão mau, foi aquilo que se passou depois do apito final. Uma vergonha…


Época 2011/2012

Um ano praticamente imaculado. Tinha tudo para ser uma boa época. À parte da eliminação da Taça de Portugal nos oitavos de final diante o Marítimo, no Funchal, na Liga dos Campeões só conhecemos o sabor da derrota na Rússia, com o Zenit, resultado “emendado” na Luz com um 2-0. Nesse jogo perdemos o Rodrigo, que só viria a aparecer este ano, curiosamente! Depois, até ao fim, para além dos inúmeros empates, ainda em 2011, que marcavam a distância para o FC Porto (que não cedia pontos), lá fomos a Guimarães perder, seguido de um empate (mais um) em Coimbra e uma derrota em casa com a equipa de Vítor Pereira (esse mestre do futebol!). Entretanto mais uma Taça da Liga (a quarta) e uma derrota com o Sorting (esse colosso!). Quanto à Liga dos Campeões, destaco os quartos-de-final perdidos com o Chelsea, onde o Benfica mereceu, sem dúvida, ganhar… Até ao final, mais um empate em Vila do Conde, resultando num campeonato mal perdido para o Porto, que ficou a seis pontos, onde claramente não houve pernas (nem banco) para tanta competição.


Época 2012/2013

O ano da desgraça! Sim, da desgraça! Do minuto 92. Nem me apetece dizer muito mais. Os empates da treta (do costume). Um grupo acessível na Liga dos Campeões (mesmo com o Barcelona), mas o Celtic e o Spartak de Moscovo pareceram gigantes… O Pior foi no fim: depois da “festa” no Funchal, seguiram-se o empate caseiro com o Estoril e a derrota no Porto, com os joelhos de Jesus a tocarem a relva. Estava tudo feito. Pouco depois a final de Amsterdão com o Chelsea (o melhor dos três jogos derradeiros) e o Jamor, onde o Cardozo fez aquilo que nos apetecia fazer; pedir explicações! Resultado: zero conquistas e um campeonato perdido para o Porto, por um ponto, onde nem a habitual Taça da Liga nos aconchegou…

Época 2013/2014

Começou como tem começado. Derrota na primeira jornada e até aos últimos minutos do segundo jogo, estávamos a encaixar a segunda… Mas a coisa lá se endireitou, muito por culpa do Porto, que chegou a ter 5 pontos de vantagem e está agora a 15. A luta tem sido com o Sporting que, em abono da verdade, nunca chegou a assustar. Estamos agora a 2 pontos do 33º título de Campeão Nacional e, só nós benfiquistas, é que ainda temos algum receio. Porquê? Basta ler o que escrevi em cima… Quanto às competições europeias, podia ser pior. Depois de agigantarmos o PSG, o Roberto lá nos tirou os oitavos de final com uma exibição que nunca fez com o símbolo do Benfica ao peito. Na Liga Europa, a final está a dois jogos de distância, contra uma Juventus que jogará em casa na final, se passar, e que não mete medo. O Pirlo já começou com os habituais “mind games”, mas o que receio é que a corrupção nos tire o primeiro título europeu em décadas, já que o Platini ainda pode fazer das suas e os outros espanhóis são perfeitamente acessíveis. Se perdermos, que seja limpo! A Taça de Portugal é amanhã, com o Porto, e já estamos a perder 1-0. Não tenho fé, como sempre. Mas é na Luz. Vamos ver… A Taça da Liga é com eles, também, mas sendo no Dragão, tenho menos esperança, pois já percebi que mesmo em anos brilhantes, deve haver qualquer coisa na água (vitórias lá em cima, são escassas). Apesar de tudo, para o campeonato temos 4 empates e uma derrota e nunca um FC Porto-Benfica teve tão pouca importância, pois será na última jornada. Por enquanto corre bem a época e até ver não há nada a apontar, a não ser os empurrões ao Shéu em Inglaterra, depois de um gesto que apagou uma noite de glória.

Jorge Jesus está diferente. No discurso, nas atitudes (apesar do que já disse) e há uma diferença: tem banco de suplentes e nunca acusou as ausências de Cardozo, Salvio e Matic.
Mesmo podendo ser este um ano de glória para o Benfica, não consigo apagar da memória os anos anteriores (tudo o que falei), as teimosias e, sobretudo, a arrogância no discurso e a maneira como sacode as responsabilidades para os jogadores na hora da derrota assim como as cobra (só para ele) nas vitórias. Este ano temos um treinador melhor, mas também um plantel melhor, um capitão de equipa melhor e piores adversários…




E este ano há dedicatória!

O bigode

Posted by António Pedro Lima | Posted in , , , , | Posted on 08:30

0


 Será assim tão excepcional? Lá volta a ideia de que os portugueses têm todos bigode!

33.º

Posted by António Pedro Lima | Posted in , , , , , | Posted on 18:00

0



Quando passa pelo melhor início de ano (civil) em termos desportivos, o Benfica perde, no espaço de um mês, duas das suas glórias. Se já Eusébio foi lembrado em quase todo o mundo, duvido que aconteca o mesmo com Coluna. Será de certa maneira injusto, uma vez que, diz o meu pai e outros há muitos anos, o Eusébio não seria nem metade do jogador que foi sem o Coluna a servi-lo imediatamente antes. O “Monstro Sagrado” era um comandante. Uma autêntica "coluna" naquela equipa do Benfica.
Venha de lá esse 33.º campeonato com dedicatória!

E tu? O que fazes no Paint?

Posted by António Pedro Lima | Posted in , , , , | Posted on 22:34

0





Tenho um problema!

Posted by António Pedro Lima | Posted in , , , , | Posted on 21:41

1


O meu cérebro está a envelhecer muito mais depressa que o meu corpo.



Isto estava a dar no Panda Biggs ontem à noite!
Medo...